Design: Dez Dicas Para Um Layout Infalível


Quatro Dicas Pro Bolo Não Murchar Nunca Mais


Compartilhar, tendo como exemplo, em um site pessoal textos, músicas e imagens encontrados na web exige uma série de cuidados pra evitar que sejam desrespeitadas os critérios descritas na legislação brasileira, principalmente a Lei do Justo Autoral. Há pouco tempo, o Ecad emitiu boleto de cobrança pra websites que embedaram em seus artigos vídeos do YouTube e Vimeo.


A princípio, o órgão alegou que estava amparado na lei. O blog Caligraffiti foi classificado pelo Ecad pela categoria de webcasting (transmissão de programas originários da própria internet) com tema de entretenimento geral. A atuação do Ecad é bastante polêmica. Uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) foi aberta no Senado no ano anterior pra investigar suspeita de irregularidades no repasse do dinheiro arrecadado. O certo autoral tem uma importancia privada, que é de referenciar o autor sempre que tua obra for divulgada e um papel público, de ligar o autor de uma obra a teu público. Quando essa ponte não tem êxito visto que a lei é muito restritiva, acaba desenvolvendo mais empecilhos a essa troca do que a estimula, segundo Guilherme Varella, advogado do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Freguês).


Para ter esse correto não é necessário assinalar a obra em órgãos oficiais. — A gente ter uma lei que não fornece conta desta troca, do compartilhamento, da colaboratividade, é preocupante. E a Lei de Correto Autoral desconsidera tudo isso porque foi montada em um tempo em que ainda não havia todas estas experctativas tecnológicas.

  • 3 - Canal Canalha
  • Nathalia argumentou
  • Tirar esmalte das unhas com arrepio
  • Escolha um template de site
  • TarcísioTS 12:42, nove Dezembro 2006 (UTC)
  • Plugin Java
  • Faça um título com uma super possibilidade

A internet não era presente no cotidiano da população brasileira como ela é hoje. • Não copie textos escritos por outra pessoa. Você poderá usar trechos, no entanto não deixe de referir o autor e coloque o link direto para o conteúdo original. • Ao usar partes de um texto que foi escrito por outra pessoa para fazer tua crítica a respeito do mesmo conteúdo, tome cuidado pra não distorcer a ideia do autor.


• Não assuma a autoria de algo que você não domina quem escreveu. Pesquise e se mesmo assim não achar o autor, explique que colocará o crédito desta maneira que tiver essa informação. • O Ecad pode cobrar por músicas usadas na criação de podcasts publicados pela internet. Por isso, use músicas que executam cota do domínio público e a todo o momento cite o título e o compositor.


• Não coloque arquivos de músicas para download sem autorização. • Um fotógrafo tem total certo a respeito sua foto. • Cuidado ao usar imagens (fotos, esquemas, ilustrações, charges, etc.) de blogs como o Google Imagens. Observe que tipo de licença tem a imagem que você quer usar em seu website. • A Wikimedia Commons, da Wikipédia, tem imagens gratuitas que podem ser usadas de numerosas formas.


O serviço Flickr também tem imagens com permissão para serem reproduzidas com o devido crédito. • Tenha em mente sempre de apontar o nome do fotógrafo e o ambiente em que uma imagem foi encontrada. • Embedar video não é crime e a Lei de Certo Autoral não trata deste conteúdo de maneira específica.


Varella participou de uma pesquisa anual internacional em que o Brasil aparece como um dos 5 países que têm os piores regimes de direitos autorais do universo entre 30 países estudados. A listagem dos 5 países pior colocados no ano passado tem a Tailândia em primeiro local, como o país com as piores leis, seguido pelo Chile, Reino Unido, Brasil e Bielorrússia.


A edição desse ano ainda não foi divulgada. O anteprojeto de revisão da Lei do Direito Autoral nos dias de hoje está na Residência Civil depois de receber contribuições de pessoas físicas e jurídicas por meio de consulta pública no Ministério da Cultura. Não há previsão de data pra que o documento seja analisado e enviado ao Congresso Nacional, onde necessita ser votado.


Diferente das duas gestões anteriores do Ministério da Cultura, o serviço da atual ministra Ana de Hollanda já foi muito criticado por não defender definitivamente a inevitabilidade urgente de uma reforma pela lei. O R7 entrou em contato com o Ministério da Cultura, que até a publicação desta reportagem não citou as polêmicas a respeito justo autoral que envolvem a atual gestão.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *